AvesBelenenses SADBenficaBoavistaBragaChavesFC PORTOFeirenseMaritimoMoreirenseNacionalPortimonenseRio AveSanta ClaraSportingTondelaVit.GuimarãesVitória de Setubal

Você está aqui:Notícias futebol»Benfica-Napredak, 3-0
terça, 10 julho 2018 22:49

Benfica-Napredak, 3-0 Destaque

Escrito por Mais Futebol - David Marques
Classifique este item
(0 votos)

O primeiro teste de pré-época da Benfica versão 2018/19 decorreu sem sobressaltos. Uma águia ainda em fase experimental impôs-se a um débil Napredak por 3-0 no arranque do Torneio Internacional do Sado.

Com Rui Vitória a ver em ação 24 dos 28 jogadores disponíveis (Luisão falhou a chamada por problemas físicos), foi Jardel o elemento mais desequilibrador. O central, nesta terça-feira capitão dos encarnados, bisou de cabeça aos 21’ e 41 minutos e ajudou a resolver o jogo nos primeiros 45 minutos.

Num jogo típico de pré-temporada, naturalmente ainda muito a melhorar em termos físicos e de dinâmicas de jogo, o acerto de Jardel e a definição de Pizzi – criativo rodou quase sempre numa mudança superior às dos restantes companheiros e fez assistências para o primeiro e terceiro golos do Benfica – foram os principais aspetos a reter de um jogo que teve sentido único na primeira parte.

O técnico das águias lançou de início uma equipa com sete repetentes (Svilar, Grimaldo, Jardel, André Almeida, Fejsa, Pizzi e Rafa), os promovidos João Félix e Gedson e os reforços Conti e Castillo, que abriu um ativo aos 18 minutos num remate colocado à entrada da área.

Pouco atrevida, a equipa sérvia foi presa fácil para o Benfica na etapa inaugural. Inofensiva no ataque, pecou sobretudo na abordagem às bolas paradas defensiva, como comprovaram os golos de Jardel, ambos na sequência de bolas paradas.

Na segunda parte, Rui Vitória apresentou um onze totalmente renovado e estrategicamente diferente. O 4x3x3 inicial deu lugar ao 4x4x2 – antiga fórmula de sucesso que caiu a partir do segundo terço da época passada – com Jonas no apoio ao reforço Facundo Ferreyra. A fórmula deu maior presença às águias no último terço, mas faltou acerto na finalização, sobretudo ao avançado ex-Shakhtar.

Num setor defensivo totalmente renovado por Alex Pinto, Lisandro, Lema e Yuri Ribeiro, as águias foram mais permissivas e não se livraram de um ou outro susto que André Ferreira resolveu com extrema competência e manteve a baliza a zeros no primeiro cheirinho do novo Benfica.

Nota final para Bruno Varela, Willock e os reforços Vlachodimos e João Amaral, que não foram lançados em campo.

Ler 93 vezes

Deixe um comentário

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.

We use cookies to improve our website and your experience when using it. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. To find out more about the cookies we use and how to delete them, see our privacy policy.

  I accept cookies from this site.
EU Cookie Directive Module Information