Aves BenficaBoavistaBraga FC PORTO MaritimoMoreirense PortimonenseRio AveSanta ClaraSportingTondelaVit.GuimarãesVitória de Setubal

Você está aqui:Ligas & Campeonatos»Alemanha»Jogadores do Bayern Munique e Borussia Dortmund aceitam baixar salários
terça, 24 março 2020 17:52

Jogadores do Bayern Munique e Borussia Dortmund aceitam baixar salários Destaque

Escrito por
Classifique este item
(0 votos)

 

Dois emblemas alemães têm folhas salariais anuais de três dígitos.

Os jogadores Bayern Munique, campeão alemão de futebol, e do Borussia Dortmund aceitaram baixar os seus salários para ajudarem os clubes a fazer frente à crise nesta indústria, criada por causa da pandemia da covid-19. Em comunicado, o emblema de Dortmund avançou que os seus jogadores renunciaram "voluntariamente a uma parte dos seus salários, por solidariedade com os 850 empregados do clube e as suas famílias".

Os treinadores e os dirigentes do clube, que segue no segundo lugar da Bundesliga (interrompida a 13 de março), a quatro pontos do líder Bayern Munique, também renunciaram a parte dos seus ordenados, permitindo ao Borussia Dortmund "poupar uma verba de dois dígitos em milhões de euros".

Já o acordo no Bayern Munique foi anunciado através do jornal Bild, que avançou que foi combinado um corte de 20% nos salários dos jogadores e dos dirigentes. Os bávaros, sete vezes seguidas campeões na Alemanha, e que contam com um plantel recheado de estrelas, anunciaram despesas salariais de 336,2 milhões de euros na última época, face à faturação de 750,5 milhões de euros.

Depois de, na quinta-feira, os futebolistas do Borussia Monchengladbach terem anunciado um acordo com a direção para a redução dos ordenados, vários outros clubes já informaram que idêntica medida está a ser aceite pelos seus atletas, casos do Werder Bremen e do Schalke 04, enquanto noutros decorrem ainda as negociações.

O cenário de cortes salariais parece agora alastrar na Europa. Em França, depois de Amiens, Montpellier e Nimes ter decido fazer cortes, o Lyon avançou com uma imposição de corte parcial no total de 85% no salário dos jogadores. Na Suíça, o Sion, liderado pelo português Ricardo Dionísio, despediu nove jogadores por recusarem a proposta de emprego parcial imposta pelo clube.

Em Espanha, a imprensa noticiou que o próprio Barcelona está a estudar a melhor forma de reduzir os salários dos jogadores e equipa técnica. E na Bélgica, a maior parte dos clubes está a aplicar a "regulação temporal" de emprego a jogadores e treinadores.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 386 mil pessoas em todo o mundo, das quais cerca de 17000 morreram. Em Portugal, há 33 mortos e 2362 infetados confirmados até esta terça-feira.

Fonte: DN /LUSA

Ler 75 vezes Modificado em terça, 24 março 2020 18:03

Deixe um comentário

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.

Parceiros Estrategicos:

     

We use cookies to improve our website and your experience when using it. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. To find out more about the cookies we use and how to delete them, see our privacy policy.

  I accept cookies from this site.
EU Cookie Directive Module Information